Posso ser Mãe aos 40 Anos?

Posso ser Mãe aos 40 Anos?Não é raro mulheres esperar até o fim dos 30 anos, ou antes, dos 40 para ter seu primeiro bebê. Muitas mulheres têm gravidezes bem sucedidas no início dos 40 anos, mas existe aumento dos riscos associados com a gravidez e idade avançada.

Como posso me preparar?

Informe-se sobre o risco cada vez maior de complicações genéticas (anomalias cromossômicas) e testes para que você faça durante a gravidez para detectar. O fato de consultar um médico especializado em genética médica pode te ajudar a entender quais os tipos de testes que devem ser feitos.

Certifique-se de qualquer condição existente (por exemplo, hipertensão arterial, diabetes, doenças da tireóide, obesidade) esteja controlado, antes de pensar em engravidar. Converse com seu médico sobre a gravidez e como ela pode afetar sua condição atual.

Assegure-se de tomar vitaminas com ácido fólico antes de engravidar para ajudar a prevenir defeitos do tubo neural, principalmente espinha bífida. Buscar orientação com seu médico já é uma grande iniciativa, já que você vai gerar uma vida.

Quais são os riscos de ser mãe aos 40 anos?

Infertilidade: A probabilidade de engravidar em um determinado mês diminui à medida que a mulher envelhece e o risco de aborto espontâneo aumenta após os 35 anos. Se você tem mais de 35 anos e tem tentado engravidar por mais de seis meses, você deve conversar com seu médico sobre tratamentos de fertilidade. As enfermidades que podem contribuir para a infertilidade incluem: endometriose, miomas uterinos (tumores benignos no útero) e trompas de falópio bloqueadas.

Aumento do risco de anomalias genéticas: À medida que as mulheres envelhecem, seus óvulos não se dividem bem e podem ocorrer problemas genéticos. O transtorno genético mais comum é a Síndrome de Down. Isto é causado pela presença de um cromossoma extra que provoca atraso mental e defeitos no coração e outros órgãos. Embora o risco seja relativamente baixo, esse risco é significativamente maior se a mãe tem 35 anos ou mais.
Se for feito uma pesquisa em 1.000 mulheres de 33 anos, cinco delas têm um filho com cromossomos anormais. Se for feito uma pesquisa em 1.000 mulheres com idades de 40 anos, 25 delas terão um bebê com problema de cromossomo. O risco continua aumentando à medida que as mulheres envelhecem.

Atualmente, existem testes disponíveis para detectar anormalidades cromossômicas relativamente cedo na gravidez: os exames de detecção no primeiro trimestre (medida da translucência nucal com ultra-som e exames de sangue materno), biópsia de vilosidades coriônicas e amniocentese.

Perda gestacional: As mulheres com mais de 35 anos têm um maior risco de aborto do que as mulheres mais jovens. Para uma mulher com mais de 40 anos, o risco duplica em comparação com uma mulher de 20 anos e 30 anos. Na maioria das vezes, estes abortos são o resultado de anomalias genéticas, as quais são mais comuns em mulheres com mais de 35 anos.

Os problemas de saúde durante a gravidez: Alguns problemas são comuns em mulheres com mais de 40 anos, como diabetes e pressão arterial elevada. Se você tiver qualquer uma dessas condições, será mais suscetível a problemas durante a gravidez. E, embora você não tenha nenhuma destas enfermidades, as mulheres mais velhas são mais propensas a desenvolver diabetes gestacional e hipertensão arterial induzida pela gravidez. Além disso, existe um risco acrescido de problemas com a placenta durante a gravidez e sangramento durante a gravidez.

A pré-eclampsia: O risco de pré-eclampsia e eclampsia é maior em mulheres que têm seu primeiro filho em idade avançada. As razões para isso não estão claras. Em alguns casos, isso acontece quando a mulher sofre de diabetes ou pressão arterial elevada antes de engravidar. A pré-eclampsia é uma complicação grave que pode ocorrer durante a gravidez. Ela pode causar hipertensão arterial, inchaço da face e mãos e presença de proteína na urina. Por conseguinte, pode prejudicar o sistema nervoso e causar convulsões, acidente vascular cerebral e outras complicações sérias.

O problema da pré-eclampsia ou eclampsia é que ela aparece de repente e a evolução é muito rápida. Seus sintomas são frequentemente confundidos com desconfortos comuns da gravidez:

– A pressão arterial elevada – pode ser leve (140/90) ou grave (mais de 160/110). Em muitos casos, você não precisa ter história de hipertensão.

– Mãos, pés, tornozelos e rosto inchados (mais do que o que você consideraria normal para você), especialmente ao redor dos olhos.

– Náuseas e vômitos.

– Dor no estômago.

– Ganho de peso súbito: Lembre-se que é normal ganhar cerca de um quilo por semana após o quarto mês de gravidez. No caso da pré-eclampsia, o aumento ocorre mais rapidamente, pode ser em questão de um ou dois dias, chegar a cinco quilos em uma semana.

– Dificuldade ou pouca frequência urinária.

– Presença de proteína na urina, constatado em exames de urina.

– Dor de cabeça constante e pulsante que não diminui com medicamento.

– Pulso alterado.

– Dor na parte direita do abdômen e ombro direito.

– Alterações anormais na visão, como ver pontos luminosos ou borrados, visão dupla, sensibilidade à luz, ou perda temporária da visão.

– Confusão mental.

– Convulsões, nos casos mais graves (a pré-eclampsia passaria então a ser chamada de eclampsia, uma versão mais grave da enfermidade).

– Em seu bebê, a pré-eclampsia pode refletir em fraco crescimento e baixo peso para a idade gestacional.

Problemas no nascimento: O risco de ter problemas no parto aumenta para as mulheres com mais de 35 anos e ainda mais para as mulheres com mais de 40 anos que estão tendo seu primeiro bebê. Estudos têm demonstrado que as mulheres idosas têm mais probabilidade de prolongar a segunda fase do trabalho de parto e sofrimento fetal. Isso aumenta a chance de ter um parto vaginal assistido com fórceps ou vácuo extrator ou cesariana. As mulheres mais velhas também têm um risco aumentado de morte fetal.

Partos múltiplos: Com uma gravidez tardia, aumenta a incidência de gerar gêmeos ou trigêmeos, mesmo sem o uso de drogas para infertilidade. As gestações múltiplas são consideradas de alto risco, ainda mais se a mulher passar dos 40 anos.

O que fazer para ter uma gravidez saudável:

Ainda que ter um bebê numa idade tardia apresente um alto risco de complicações, a maioria das mulheres mais velhas têm bebês saudáveis. A primeira etapa a cumprir é planejar a gravidez visitando um médico especializado em gravidez de alto risco, mesmo antes de engravidar. Esta consulta prévia permitirá comprovar o estado de saúde da mulher e solucionar as dúvidas do casal.

Uma vez informada sobre os riscos potenciais, você pode se concentrar em todas as coisas que têm a ver com uma gravidez saudável em qualquer idade. Estas coisas incluem uma dieta e alimentação adequada, um bom pré-natal e se preparar emocionalmente e financeiramente para o seu bebê e os cuidados que serão necessários.

Cuidados recomendados pelos médicos:

  • Comer alimentos saudáveis e nutritivos, incluindo os que contenham ácido fólico, como o suco da laranja, legumes, frutos secos, cereais e verduras de cor verde.
  • Estar com peso saudável.
  • Fazer exercícios moderados.
  • Não ingerir álcool, não fumar e nem consumir drogas.
  • Não tomar nenhum medicamento, incluindo os naturais, sem consultar seu médico.

Pode haver vantagens para esperar até que você seja mais velha para ter um bebê. Com frequência, as mulheres e os homens mais velhos consideram que são mais pacientes e realistas para enfrentar o desafio de um novo bebê do que tinha sido antes em sua vida. Eles podem aproveitar melhor as alegrias da paternidade, já que estão estabelecidos em suas carreiras. Eles sentem que têm mais tempo para dedicar-se a seu bebê.

Gravidez acima dos 40 anos
Matérias Relacionadas
Maternidade Obesidade Durante a Gravidez

É normal que ao longo da gravidez a mulher ganhe alguns quilos, já que parte dele é do bebê que

Maternidade Riscos de Gravidez Múltipla

Muitas mulheres além de sonharem com uma gravidez, sonham com uma gravidez múltipla. Mas este é um tipo de gravidez

Maternidade Por que Preciso Deixar de Fumar na Gravidez?

Os danos do tabagismo materno na saúde do bebê são evidentes. No entanto, muitas grávidas continuam fumando. Por que é

Maternidade Tudo Sobre Uma Gravidez Ectópica

A gravidez ectópica é uma gravidez que se desenvolve fora do útero na cavidade abdominal. É uma condição que não

Saúde da Mulher Gravidez Ectópica: Sintomas e Tratamentos

A gravidez ectópica é mais comum do que ouvimos falar, trata-se de uma condição onde o feto se desenvolve fora

Comentário Anônimo(opcional)

Comentário com seu Facebook
Existe 1 Comentário para Dica "Posso ser Mãe aos 40 Anos?"
Debora

Eu fui mãe aos 41 anos. tinha um pouco de canseira, foi tudinho que tive durante a gravidez. trabalhei até o final do oitavo mês, tive parto normal, meu filho é perfeito e saudável. dou graças a deus!!!