Diabetes Gestacional

Diabetes GestacionalO diabetes gestacional aparece durante a gravidez, principalmente no segundo trimestre quando os hormônios e outros fatores interferem na capacidade do organismo de utilizar sua própria insulina. Hoje em dia, 2 a 5 % das mulheres desenvolvem o diabetes gestacional. Às vezes, pode acontecer que a mulher já tinha diabetes, porém não diagnosticada. Mesmo que não seja frequente, as complicações para a mãe e o bebê podem ser bem significativas.

O sobrepeso é um fator de risco muito importante

A gravidez apesar de ser um momento maravilhoso na vida da mulher, traz muitas alterações físicas e fisiológicas. Por conseguinte, a produção de insulina pelo corpo, pode ser insuficiente.

No segundo trimestre, a placenta começa a produção de grandes quantidades de hormônios que podem causar resistência à insulina. A consequência será a hiperglicemia na mãe e a partir de certo limite, o diabetes gestacional. Às vezes, a gravidez não é a causa desta enfermidade. Ela pode estar presente na concepção, porém só diagnosticada durante os testes de gravidez.

Há vários fatores de risco para o diabetes gestacional que são bem identificados:

  • Histórico de excesso de peso,
  • Obesidade,
  • Caso de diabetes na família ou da própria mãe, Complicações em gestações anteriores, como: peso de bebê superior a 4Kg ao nascer, má formação, bebê morreu ao nascer.
  • Idade da mulher: Ou muito jovem ou acima de 35 anos.

Tratamentos para evitar complicações

Normalmente as consequências do diabetes não são graves. A taxa de mortalidade perinatal é muito baixa. O principal risco para o bebê é nascer com peso elevado (macrossomia). Isto ocorre entre 20 a 30 % dos casos, contra 10 % na população geral. Nestes casos as complicações são perinatais, como: parto prematuro, pré-eclâmpsia, cesariana, etc.. A longo prazo a criança pode ter problemas de sobrepeso, obesidade e diabetes. Para a mãe o perigo é da diabetes gestacional se perpetuar no diabetes do tipo 2.

Como evitar essas complicações?

O primeiro passo para evitar complicações é nutricional, isto é, uma dieta simples na maior parte do tempo. É claro, que estar fazendo um pré-natal é indispensável. Mediante exames de sangue o médico saberá qual a melhor maneira de evitar que piore o quadro. Mesmo após o nascimento o acompanhamento médico é importante, pois a glicemia deve ser controlada por seis semanas. Um pré-natal bem feito pode reduzir pela metade a taxa de macrossomia em recém nascidos e as complicações neonatais.

Lembre-se: Tudo no início é mais fácil de ser resolvido. Por isso é importante buscar informações sobre diabetes gestacional se você tem casos na família principalmente se sua mãe teve problemas.

Se for uma gravidez planejada, nada melhor que fazer todos os exames possíveis para saber se seu corpo está bem, pois uma gestação tranquila só traz benefícios para a mãe e o bebê.

Programa Ver Mais - Saúde da mulher - Diabetes Gestacional
Matérias Relacionadas
Maternidade Riscos de Gravidez Múltipla

Muitas mulheres além de sonharem com uma gravidez, sonham com uma gravidez múltipla. Mas este é um tipo de gravidez

Maternidade Obesidade Durante a Gravidez

É normal que ao longo da gravidez a mulher ganhe alguns quilos, já que parte dele é do bebê que

Maternidade Posso ser Mãe aos 40 Anos?

Ser mãe é o grande desejo de muitas mulheres e não existe uma idade certa para isso. Mas para as

Saúde da Mulher Anencefalia

A anencefalia se tornou um assunto de destaque depois que o Supremo Tribunal Federal aprovou a interrupção da gravidez em

Saúde da Mulher 65% das Mulheres Deixam de Fazer Exercícios Quando Engravidam

Um estudo revelou que as mulheres ao engravidarem se tornam sedentárias e deixam de praticar qualquer tipo de atividade física.

Comentário Anônimo(opcional)

Comentário com seu Facebook
Nenhum Comentario para Dicas "Diabetes Gestacional"